Tradução de documentos para intercâmbio

Jovem em intercâmbio
 
O procedimento é obrigatório para quem deseja fazer intercâmbio
 
O intercâmbio é um grande sonho e é planejado por pessoas que desejam conhecer bem a cultura de outros países e extrair o máximo possível dessa experiência, mas um detalhe que nem sempre é lembrado é a importância do tradutor de documentos.
 
O tradutor é um profissional indispensável para quem quer fazer uma viagem de intercâmbio, uma vez que seus serviços permitem que o viajante possa ser devidamente identificado e cumpra as devidas determinações legais do país.
 
Vamos aprender quão procurados são esses profissionais atualmente, qual é a sua importância e quais são os documentos mais comuns que precisam passar pelo processo de tradução.

Como é a procura pelo tradutor de documentos?

É muito grande, assim como o número de brasileiros que fazem intercâmbio, o que também apresenta uma crescente interessante.
 
De acordo com a Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio (Belta), o mercado brasileiro de educação estrangeira cresceu 23% no ano de 2017, um número que por si só já chama a atenção e mostra o grande interesse pela experiência de intercâmbio.
 
Além disso, a Belta também divulgou que, no mesmo ano de 2017, o número de estudantes intercambistas foi recorde e atingiu 302 mil. O investimento médio para cursos no exterior também havia aumentado para US$ 9.989, algo em torno de R$ 33 mil na cotação da época.
 
Isso faz com que o tradutor de documentos seja um profissional cada vez mais solicitado, uma vez que seus serviços são indispensáveis para que os estudantes possam cumprir com a parte burocrática da viagem e, portanto, fazer com que tudo aconteça com tranquilidade.
 
Esse profissional, também chamado de tradutor juramentado, é responsável pela tradução – em inteiro teor – de todos os documentos que precisarem ser apresentados em outro país para o idioma oficial em questão.
 
Pode ser que você não saiba por qual motivo é exigida a tradução juramentada em documentos, mas a razão é bem simples: fazer com que os documentos sejam compreendidos pelos respectivos órgãos oficiais e instituições daquele país, uma vez que tudo estará escrito em seu idioma oficial.
 
Porém, a tradução juramentada possui um diferencial se comparada aos serviços tradicionais, que é o fato do tradutor juramentado possuir fé pública, ou seja, ele é autorizado perante a lei a conferir validade legal para os documentos traduzidos por ele, de modo que mantenham o mesmo valor em outro país.
 
Veja também: Quem pode fazer tradução de documentos oficiais?

Quais são os documentos mais comuns para se traduzir?

Não há uma única relação que se aplique a todos os casos, uma vez que alguns itens podem variar conforme as exigências do país em questão, mas alguns dos documentos mais procurados para tradução, separados por tipo, são os seguintes:

 

  • Documentos de identificação: passaporte, carteira de identidade, carteira de habilitação profissional, certidão de registro civil.

 

  • Documentos pessoais: carta de recomendação, declarações médicas, certificado de comprovação de renda, certificado do TOEFL (Test of English as a Foreign Language), certificado do IELTS (International English Language Testing System), atestado de vacinação.

 

  • Documentos escolares e acadêmicos: certificado de conclusão de ensino médio, certificado de conclusão de ensino superior, históricos escolares, histórico de graduação, declaração de matrícula, diplomas, descrição do projeto de pesquisa.

 

  • Documentos jurídicos: comprovantes bancários, petições iniciais, autos de processos judiciais, procurações.

 

Em suma, qualquer documento com validade legal que precise ser apresentado em território estrangeiro deve ser entregue aos cuidados de um tradutor juramentado para que ele possa traduzi-lo e conferir validade legal a ele, de modo que o intercambista possa apresentá-lo no exterior sem qualquer problema.

O que acontece se os documentos não estiverem acompanhados de sua tradução juramentada?

Documentos para intercâmbio
 
A situação é a mesma de não ter aquele documento em si, uma vez que ele – redigido em seu idioma de origem – não terá validade legal no exterior. As consequências dependem de qual documento não está traduzido, mas todas são negativas.
 
Se você está fazendo um intercâmbio relacionado à sua graduação, por exemplo, e não tiver levado os documentos acadêmicos necessários com suas respectivas traduções juramentadas, é bem provável que você não consiga concluir a matrícula quando se apresentar na instituição de ensino.
 
No caso de não ter levado comprovantes bancários traduzidos, por exemplo, é possível que você não consiga nem passar pela imigração, uma vez que é comum que os países solicitem a comprovação de reservas financeiras que permitam ao viajante manter-se pelo período em que estiver no país.
 
Mesmo que você tire a sorte grande de encontrar alguma pessoa que fale o seu idioma quando tiver que apresentar um documento, o que significa que ela poderá entender o que está escrito, o documento em si não terá validade legal, uma vez que não passou pela tradução juramentada.
 
Isso seria praticamente o mesmo caso de apresentar uma cópia de um documento em seu país de origem sem que ela tenha sido autenticada, o que também não confere qualquer validade perante a lei.
 
É por isso que a parte burocrática precisa ser planejada com cuidado e atenção um bom tempo antes da sua viagem, em especial a solicitação para um tradutor de documentos confiável e experiente, para evitar qualquer tipo de problema quando estiver em outro país.

Como escolher um bom tradutor de documentos?

A melhor alternativa é procurar por uma empresa de tradução especializada e experiente, a qual tenha profissionais de capacidade comprovada e que, assim, possam atender a todas as suas solicitações com qualidade.
 
Já ficou clara a importância da tradução juramentada, um procedimento que deve ser feito com todos os documentos que tiverem que ser apresentados em sua viagem de intercâmbio, mas a escolha pelos profissionais certos também demanda cuidados.
 
Esse tipo de serviço só pode ser feito por um Tradutor Público e Intérprete Comercial (TPIC), um profissional que tenha sido aprovado em concurso público promovido pela Junta Comercial de seu Estado e devidamente empossado.
 
O serviço de um tradutor juramentado não varia tanto linguisticamente se comparado ao realizado por outros tradutores, exceto pela necessidade de conhecimento de terminologia técnica da área de Direito, mas o exercício de sua função é diferente devido à necessidade da obtenção de fé pública.
 
Portanto, é fundamental tomar muito cuidado com a sua escolha, uma vez que apenas tradutores que atendam a todos esses critérios podem ser escolhidos para traduzir seus documentos e, assim, permitir que a sua viagem de intercâmbio corra da melhor maneira possível.
 
Se você planeja um intercâmbio, seja em um futuro próximo ou mais distante, não hesite em contratar um tradutor juramentado de documentos profissional, experiente e que trabalhe para uma empresa de tradução reconhecida por sua qualidade. Assim, a viagem será um momento inesquecível e sem problemas burocráticos para atrapalhá-la.

Solicite sua Tradução

Postagens Relacionadas