Quais são os perigos de confiar no tradutor automático?

A tradução automática pode ajudar em algumas ocasiões, mas não se compara à qualidade dos serviços de um profissional qualificado.

A tecnologia traz várias inovações que nos ajudam no dia a dia. O tradutor automático é uma delas, o qual se mostra como uma boa opção para necessidades informais, como a tradução de conteúdos para consultar informações simples em sites ou letras de músicas, por exemplo.

De acordo com as estatísticas do Google, a ferramenta Google Tradutor traduz 100 bilhões de palavras por dia, o que equivale, em média, a 200 milhões de páginas. Além disso, quando o software começou, ele funcionava com apenas 2 idiomas – hoje, o número já é de 103 idiomas.

Porém, ainda é bem perigoso confiar totalmente na tradução automática, principalmente quando se trata de serviços profissionais, o que significa que os tradutores jamais serão completamente substituídos pela tecnologia automatizada.

Por que não confiar completamente no tradutor automático?

Resumidamente, porque se trata de um serviço que funciona por meio de algoritmos e não leva em consideração o lado humano do trabalho, mas é possível aprofundar-se muito mais nesse assunto.

Atualmente, o sistema do Google Tradutor funciona por meio do Google Neural Machine Translation (GNMT – em português, “tradução da máquina neural do Google”), um sistema de tradução por máquinas neurais.

Em outras palavras, seu funcionamento baseia-se em um sistema de computadores que aprende a fazer determinadas tarefas mediante repetição. Ele é vagamente inspirado nas redes neurais biológicas que existem no cérebro dos animais.

Com o passar do tempo, os sistemas de tradução automática podem apresentar resultados mais naturais, uma vez que conseguem absorver mais conhecimento a cada tradução realizada.

Ninguém duvida que o poder de um tradutor automático é muito grande e que ele faz parte do nosso cotidiano, mas ele tem as suas limitações, assim como acontece com todas as outras tecnologias.

Por aprender com o passar do tempo, pode ser que o mesmo texto – traduzido há um ano e traduzido novamente hoje – traga um resultado diferente. Qual será que é o certo? Será que ele aprende sempre da maneira correta ou também pode aprender errado?

Até existe uma questão semântica nesse tipo de tradutor, ou seja, ele até leva em consideração o contexto da frase em vez de separá-la em blocos para, então, traduzir, mas as limitações em relação ao serviço de um profissional são nítidas.

tradutor automático

Como um tradutor profissional trabalha?

Um profissional de tradução também utiliza a tecnologia em seu trabalho, mas de uma maneira diferente das traduções automáticas. A união entre o ser humano e a tecnologia é capaz de trazer resultados muito melhores do que apenas a tecnologia por si só.

Saber se é possível confiar na tradução automática é uma grande dúvida, mas entender como os tradutores profissionais atuam também é. Conhecer sobre o assunto ajudará muito a compreender a importância da tradução humana profissional.

Existem várias ferramentas para tradução que são utilizadas por um tradutor profissional e que podem deixar seu trabalho muito mais fácil e confiável, mas o funcionamento é bem diferente de copiar e colar um texto e aguardar pelo resultado.

Analogamente, é como se o profissional tivesse substituído uma parte do uso dos dicionários em papel por softwares que o ajudam em seu trabalho, mas que não fazem tudo sozinhos – apenas auxiliam a deixar o ato de traduzir mais prático.

Para entender melhor, basta pensar em um engenheiro, por exemplo: ele utiliza softwares de desenho assistido por computador (CAD – “Computer-Aided Design”) para fazer projetos com mais precisão e agilidade, mas o software não é capaz de fazer tudo sozinho.

No caso dos tradutores, as ferramentas são conhecidas como CAT (Computer-Assisted Translation – em português, “traduções assistidas por computador”) ou, mais comumente, como memórias de tradução.

Sua função não é a mesma de um tradutor automático, já que o contexto é levado em consideração para apresentar um termo que traduza corretamente o que foi utilizado no texto original.

Vamos pensar no teor “piece of cake”: se for um livro de receitas, a tradução pode ser literal (“pedaço de bolo”), mas se for uma conversa entre dois amigos em uma história de um livro, então a tradução correta será “moleza” ou “muito fácil”, por exemplo.

A tradução técnica é um dos exemplos mais claros. Esse é o tipo de tradução que é necessária para conteúdos de medicina, direito, enfermagem, engenharia, química, biologia, além de vários outros assuntos, ou seja, conteúdos de teor técnico.

É preciso entender todo o contexto para saber qual é o melhor termo a ser utilizado na tradução, além do fato de que algumas expressões são utilizadas em seu idioma original e devem ser mantidas assim. Um tradutor automático não tem essa capacidade de discernimento.

Além da semântica, existem questões históricas, geográficas e da atualidade que podem estar presentes em conteúdos de outros idiomas e que também não devem ser traduzidas automaticamente.

Ao aliar o conhecimento e o discernimento dos tradutores profissionais com a capacidade e a agilidade da tecnologia das ferramentas de tradução, o conteúdo da tradução será o mais fiel possível ao documento original.

Quando utilizar um tradutor automático ou um profissional de tradução?

Para o dia a dia, é comum usarmos os tradutores automáticos e não há nada de errado nisso. Se a dúvida for apenas em uma palavra ou uma frase, eles podem ajudar bastante.

No caso da tradução de um jogo, aplicativo ou conteúdo oficial de um site da internet, é comum ficar em dúvida sobre as traduções automáticas e por crowdsourcing x tradutor profissional, mas, ainda assim, apenas os tradutores profissionais podem apresentar um resultado com uma qualidade de alto nível.

Quando se trata da tradução de um livro, artigo científico ou outro tipo de documento que tenha fins profissionais, não há nem espaço para dúvidas: a escolha deve ser por um profissional de tradução especializado, assim você não irá se arrepender com o resultado.

Até quando haverá trabalho para os tradutores profissionais?

O serviço ainda está garantido por muito tempo. De acordo com um relatório da empresa norte-americana Common Sense Advisory, datado de maio de 2012, sobre os maiores provedores de serviços de linguagem, foi estimado que o mercado movimenta, em média, US$ 33,5 bilhões ao ano.

Já um relatório de 2018 da IBISWorld estima que o mercado alcance US$ 37 bilhões ainda nesse ano, ou seja, mesmo com o desenvolvimento constante da tecnologia, a demanda pelos serviços de tradução manteve-se em crescimento.

Para concluir, não há problema algum em usar um tradutor automático para tirar as dúvidas do dia a dia, mas fora isso, os serviços de uma empresa de tradução que conta com uma boa equipe de tradutores especializados jamais deixarão de ser utilizados.

Solicite sua Tradução