Quais são os melhores países para seguir uma carreira internacional?

Prédio executivo no exterior
Conheça os melhores destinos para seguir sua carreira profissional fora do país

Se você é uma pessoa que sonha em trabalhar no exterior, sabe que essa é uma oportunidade valiosa de se desenvolver profissionalmente e obter o sucesso que você tanto almeja, mas é preciso saber quais são os melhores países para isso.

Cada um deles possui suas próprias características, como cultura, economia e educação, e, além disso, é importante considerar o que eles têm a oferecer aos profissionais que desejam trabalhar ali por um período determinado ou indeterminado de tempo.

Se você quer conhecer os melhores países para seguir sua carreira profissional, então está no lugar ideal. Vamos conferir quais são os mais apropriados para quem deseja trabalhar fora do seu país de origem e o que eles têm a oferecer.

Quais são os países mais indicados para trabalhar no exterior?

Existem alguns países nos quais os vistos para brasileiros são fornecidos mais facilmente, enquanto a burocracia para outros pode ser bem maior. Além disso, certas nações oferecem benefícios e incentivos melhores do que as outras, o que também deve ser colocado na balança.

Uma pesquisa feita pelo HSBC no ano de 2017 listou as 10 nações com as melhores oportunidades de carreira internacional, o que é de grande valia para quem possui esse interesse. A lista é composta pelos seguintes países:

1 – Suíça

Detentora de qualidades importantes para quem quer trabalhar no exterior, como a perspectiva de ganhos futuros. 69% dos entrevistados afirmaram uma melhoria no equilíbrio entre vida familiar e profissional, enquanto 61% disseram que a cultura de trabalho é melhor que em seus países de origem. A renda média anual do país é de US$ 188.275,00.

2 – Alemanha

Destino ideal para quem deseja segurança profissional, aquisição de experiência, vivência de novas oportunidades e possibilidade de crescimento na carreira.

3 – Suécia

País cuja cultura trabalhista é melhor que a do país de origem para 71% dos entrevistados.

4 – Emirados Árabes Unidos

56% dos entrevistados receberam acomodação gratuita, ao passo que 75% disseram ter plano de saúde coberto pelas empresas nas quais trabalham, o que são ótimos benefícios.

5 – Noruega

País em que 87% dos entrevistados consideraram ter mais equilíbrio entre vida profissional e familiar do que em seus países de origem. A cultura de trabalho também é vista como positiva.

O restante do ranking é composto, respectivamente, por Singapura, Áustria, Hong Kong, Reino Unido e Bahrein.

Em linhas gerais, a Europa é positiva para quem quer crescer na carreira e ter uma boa cultura profissional, ao passo que o Oriente Médio traz boa remuneração e benefícios vantajosos e a Ásia abriga pessoas que estão satisfeitas com a escolha tomada.

Veja também: Brasileiros no exterior: 4 novas regras que ajudam ou dificultam

Quais são os tipos de vistos para trabalhar no exterior? Como obtê-los?

Mulher executiva

Essa é uma pergunta cuja resposta é variável de acordo com cada país. Como a política e a burocracia dos territórios é distinta, é importante saber quais são as exigências feitas aos interessados em trabalhar fora do país e como elas mudam de acordo com cada um deles.

Para termos uma base, é possível conferir os tipos de vistos utilizados nos Estados Unidos, cuja variedade é bem grande e que pode ajudar a entender como os demais países se comportam:

– Trabalho temporário não agrícola: destinado para profissionais que atuarão temporariamente em ocupações cuja oferta de mão de obra local não seja o suficiente para suprir a demanda.

– Visitante de intercâmbio: opção para pessoas aprovadas em programas de intercâmbio para estudos e para participar de trabalhos relacionados.

– Trabalho temporário para trabalhadores qualificados: voltado aos profissionais que atuam em áreas específicas, cuja demanda não seja atendida pela oferta de mão de obra local.

– Trabalhador rural sazonal: voltado a fins agrícolas, uma vez que a oferta norte-americana não é tão grande na área em questão.

– Green card: opção que proporciona residência permanente, embora seja necessário, em alguns casos, que o Departamento de Trabalho no país ateste que não há profissionais suficientes para atender a essa demanda profissional.

– Loteria do green card: os vistos são sorteados para potenciais imigrantes que possam contribuir com a economia local e, assim, serem considerados como residentes permanentes do país.

É importante ressaltar que isso serve apenas como base para quem deseja trabalhar no exterior, uma vez que os processos e ofertas variam de acordo com cada país e com suas políticas e burocracias próprias.

Em relação aos documentos, eles variam de acordo com cada país e tipo de visto, mas geralmente é necessário comprovar o conhecimento de cada profissional, o que pode ser feito por meio de seus diplomas e históricos acadêmicos.

Para isso, é necessário proceder com a tradução dos documentos, o que deve ser feito na modalidade de tradução juramentada, a qual é capaz de conferir fé pública ao conteúdo que foi traduzido e, assim, fazer com que sua validade legal se mantenha fora do país de origem.

Os diplomas também podem precisar ser validados para que possam ser utilizados no país desejado de acordo com a sua área, como acontece com os engenheiros, por exemplo. Certas áreas podem não demandar essa validação.

Além disso, também é necessário proceder com a tradução juramentada de documentos pessoais, como certidão de nascimento e de casamento, se houver. Para maiores informações, acesse o site do consulado e do governo do país em questão.

Inicie sua carreira no exterior

Tal decisão é desafiadora, mas ao mesmo tempo se mostra como muito positiva, principalmente para quem deseja conhecer novos ares e passar por situações únicas em suas vidas.

A trajetória costuma ser um pouco complicada, tanto pela questão da capacitação profissional e acadêmica, indispensável para quem deseja trabalhar no exterior, quanto pela própria necessidade de vivenciar novas experiências, como cultura, amizade e distância física da família e dos amigos.

Outro ponto que merece ser ressaltado é a importância de obter certificações de proficiência no inglês, como o TOEFL iBT, que atesta o seu domínio nesse idioma universal e que pode ser utilizado praticamente no mundo todo, o que é essencial para o exercício das mais variadas profissões.

As questões burocráticas precisam ser estudadas de perto para cada país, uma vez que variam bastante. É importante preparar-se para esperar alguns meses e concluir diferentes etapas legais, mas é certo que o processo e o esforço valem a pena.

Compare as opções disponíveis para trabalhar no exterior, pense em todos os pontos, desde a assimilação de uma nova cultura até a necessidade da tradução de seus documentos, que deve ser feita por uma empresa de tradução experiente, e esteja preparado para realizar o sonho de trabalhar fora do país.

Solicite sua Tradução

Postagens Relacionadas