Os 10 erros mais comuns na língua portuguesa

H√° quem diga que a l√≠ngua portuguesa √© a mais dif√≠cil do mundo, o que divide opini√Ķes e cria pol√™micas. Talvez pela arquitetura barroca dos verbos, talvez pela dificuldade em encontrar o g√™nero correto, a verdade √© que, apesar de nenhum idioma ser complicado para o falante nativo, na hora da escrita, e mais ainda na hora da tradu√ß√£o, ocorrem erros t√£o comuns que s√£o capazes de pegar pelo p√© mesmo o mais experiente dos escritores, esteja ele produzindo um texto original ou realizando uma tradu√ß√£o. Pequenas armadilhas lingu√≠sticas, culpa do processo de unifica√ß√£o que ditou novas regras ortogr√°ficas, v√≠cios de linguagem, quem sabe. Entre mitos e fatos, n√£o custa nada conhecer e prestar aten√ß√£o nos 10 erros mais comuns na l√≠ngua portuguesa.

1.Seja isso ou aquilo

O termo precisa ser duplicado toda vez que for usado para exemplificar alguma coisa. N√£o pode ser utilizado sozinho ou ligado a outra conjuga√ß√£o (no caso o “ou”). Correto: “Seja hoje, seja amanh√£, voc√™ ter√° que aprender”.

2.Mesmo como pronome pessoal

Apesar de poder ser usada de diversas formas, assim n√£o pode – apenas como pronome demonstrativo, substantivo ou adjetivo. Correto: “Ao falar com o cliente, n√£o espere que ele compreenda o seu atraso em entregar o trabalho”.

3.Adequa

Essa flex√£o do verbo “adequar”, apesar de muito usada, n√£o √© aceita pela norma culta da l√≠ngua portuguesa – ent√£o pelo menos por enquanto ela “n√£o √© adequada” (correto) ao texto. Na d√ļvida use algum sin√īnimo.

4.”Ir de encontro a” e “ir ao encontro de‚ÄĚ

Geram confus√£o de t√£o parecidas que s√£o, mas t√™m significados opostos. “Ir ao encontro de” significa concord√Ęncia, acordo, o postos de “ir ao encontro a”, que √© colidir, bater, ir contra algo. Correto: “O texto foi de encontro √† proposta do original” e “Os interesses v√£o ao encontro das ideias do cliente”.

5.”A longo prazo‚ÄĚ
A preposi√ß√£o “a” neste caso n√£o se aplica. Correto: “A estrat√©gia gera resultados positivos em longo prazo”.

6.”Entrega a domic√≠lio”
Mesmo caso, o correto √© “entrega em domic√≠lio”.

7.”Tu” e “voc√™” juntos e misturados

F√°cil, f√°cil encontrar textos onde os dois aparecem juntos e misturados, mas acaba saindo “briga”: escolha um e v√° com ele at√© o fim. Se optar por “voc√™”, n√£o use varia√ß√Ķes de “tu”, como “teu, “te” – e o “voc√™” √© a forma mais usada no nosso portugu√™s, ent√£o d√™ prefer√™ncia ao pronome. Correto: “Pensando em come√ßar a traduzir textos profissionalmente? Ajudamos voc√™ a encontrar os primeiros clientes” – e n√£o “te ajudamos a encontrar”.

8.Usar “onde” sem ser refer√™ncia a um lugar

Sempre que n√£o houver refer√™ncia a um lugar, opte por “no qual” ou “em que” e suas varia√ß√Ķes. Correto: “A empresa adota uma nova estrat√©gia, em que o bem estar dos funcion√°rios est√° em primeiro lugar” – e n√£o “onde o bem estar dos funcion√°rios”.

9.”Calabreza”

A termina√ß√£o “esa” indica a origem, portanto “A pizza de calabresa estava deliciosa”. Al√©m da nacionalidade, as termina√ß√Ķes “isa”, “esa” e “√™s” indicam tamb√©m t√≠tulo de nobreza ou ocupa√ß√£o feminina, como franc√™s, poetisa, burguesa, japonesa.

10.”Cabelereiro”, “prazeiroso”, “manerar”

√Č comum as pessoas se confundirem achando que tem “i” demais, mas a palavra √© derivada de “cabeleira”, portanto o correto √© “cabeleireiro”. Tamb√©m h√° confus√£o com “prazeiroso” (cuja forma correta √© “prazeroso”, que vem de “prazer”) e “manerar” (correto: “maneirar’, derivado de “maneira”)

Solicite sua Tradução
ÔĽŅ