Jargões, é possível utilizá-los nas traduções?

Continuidades, mudanças, solidariedades, conflitos. A história de uma sociedade se reflete no linguajar de seu povo, nos termos que nascem e se estabelecem paralelos ao idioma oficial e que podem acabar se tornando parte deste pelo uso. Relacionado ao ouvido do receptor e ao idioma do emissor, o jargão é um destes casos em que palavras foram criadas para melhor definir determinada coisa – que pode ser um serviço, um procedimento, um objeto, uma situação – normalmente incorporada como terminologia técnica ou dialeto comum a um grupo específico ou a uma atividade. No entanto o jargão está também associado à linguagem dos marginalizados, ao vocabulário viciado e ao conhecimento imperfeito de determinada língua, portanto como utilizá-lo nas traduções é um assunto no mínimo polêmico.

Quase um tipo de língua estrangeira

Fica então a pergunta: jargões, é possível utilizá-los nas traduções? O jargão profissional não deixa de ser uma espécie de língua estrangeira, presente em praticamente todas as profissões que exigem maior preparação técnica, algumas mais, outras menos. Essas impressões codificadas, na maioria das vezes compreensíveis apenas por quem é do ramo, favorecem também uma espécie de reconhecimento entre seus pares, facilitando a assimilação de ideias – e até economia de tempo, já que muitas vezes essas palavras “inventadas” resumem procedimentos inteiros de forma mais eficiente do que se descritos pelo idioma comum. Devem, por isso mesmo, ser utilizados apenas no âmbito profissional, quando exclusivamente voltados para os membros daqueles grupos – como em trabalhos científicos e técnicos de determinada área.

Cuidado deve ser redobrado

Como muitos jargões não são universais, mas sim regionais, eles demandam um trabalho extra do tradutor, que para ser fiel ao original deve ampliar seu estudo través de busca na internet e dicionários técnicos para então montar o vocabulário específico referente àquela tradução. É preciso cuidado para montar o texto seguindo a literatura característica da área, da forma como deve ser compreendida pelo público alvo, sem qualquer mudança de significado.

Tradutores devem ser especializados

Daí, portanto, a importância de buscar tradutores especializados, empresas com larga experiência de mercado que disponham de equipes com profissionais qualificados para cada área do conhecimento, seja técnica ou não. A fidelidade da língua de partida deve ser mantida no espírito da língua de chegada, superando obstáculos naturais.

Por isso o tradutor técnico deve não só conhecer bem ambos os idiomas, mas também ter conhecimento sobre o que trata o texto, como a terminologia empregada em cada assunto. A empresa deve ter uma equipe de tradutores técnicos abrangente, especializados em diversas áreas de atuação e que obedeçam a critérios rigorosos. A naturalidade e a fluidez do texto deve ser garantida sem que haja perda de sentido.

Solicite sua Tradução