Você sabe o que os intercâmbistas procuram no Brasil?

O país tem sido cada vez mais procurado por europeus, sul-americanos e africanos devido a oportunidades de estudo, trabalho e voluntariado

Assim como os brasileiros, os estrangeiros também desejam sair do país, conhecer uma nova cultura e aprender mais sobre a sua área de atuação. Fazer um intercâmbio para o Brasil é uma das formas que eles têm encontrado para realizar esse sonho, e o país tem recebido esses intercambistas de braços abertos.

De acordo com dados do Ministério do Turismo, o número de estudantes estrangeiros que vêm ao Brasil aumentou mais de 60% nos últimos anos: eram 66 mil em 2003 e, em 2014, foram mais de 100 mil! Isso sem contar os intercambistas que chegam para trabalhar e realizar voluntariado.

A maioria dos estrangeiros que chegam ao Brasil para uma experiência internacional tem incentivos das famílias e das universidades para se aventurar. Entretanto, muitos intercambistas têm medo, pois estão acostumados a imaginar o país como um lugar caótico, violento e, ainda, sem entender completamente a língua portuguesa.

Esses visitantes têm um perfil bastante comum: eles têm entre 18 e 32 anos e esperam obter melhores oportunidades profissionais após a vivência no estrangeiro. Entre as cidades mais populares, estão São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba e Salvador.

Colombianos, portugueses, franceses e angolanos são os mais interessados a deixar os destinos mais procurados, como como Estados Unidos, Canadá, Inglaterra e Austrália para descobrir esse país tropical repleto de peculiaridades.

PREÇOS BAIXOS

Devido à alta do dólar, viajar para o Brasil se tornou uma opção muito mais econômica, principalmente para os intercambistas originários de países onde a moeda também está valorizada, como América Latina e África. Até mesmo os europeus têm aproveitado o atual momento econômico para conhecer o país.

Muitas vezes, o país sequer é a primeira opção dos interessados em ter uma vivência internacional, mas, ao contabilizar os custos com documentação, tradução juramenta, passagens aéreas, alimentação e moradia, o Brasil sai na frente de seus concorrentes.

DESTAQUE NA AMÉRICA LATINA

Aos olhos de intercambistas originários da América Latina, o Brasil possui melhores condições de estudo e emprego, o que motiva a vinda de colombianos, argentinos, bolivianos e chilenos. Embora muitos façam do país verde e amarelo moradia permanente, existe uma boa parte que vem para realizar alguns semestres da graduação ou toda a pós-graduação.

As áreas de estudo que mais despertam o interesse dos intercambistas varia: letras, história e pedagogia já são tradicionais, mas, nos últimos anos, engenharia, tecnologia e empreendedorismo estão se destacando, além de oportunidades na área de saúde.

INCENTIVO AOS PROGRAMAS DE INTERCÂMBIO

Graças ao progresso das relações políticas, as universidades federais estão conseguindo promover cada vez mais a troca de estudantes. São acordos universitários que oferecem diversos tipos de bolsa, com ou sem auxílio financeiro, para que os estudantes estrangeiros venham aprender no país.

A iniciativa também encheu as universidades estaduais de intercambistas e até mesmo as unidades privadas têm realizado acordo com escolas estrangeiras para facilitar o intercâmbio para instituições de referência, especialmente na Europa, em países como Portugal e Itália.

ESTÁGIOS

Fazer um estágio internacional é um mérito muito desejado para colocar no currículo. Quem chega ao Brasil com esse objetivo muitas vezes também vai estudar em uma instituição de ensino parceira e trabalhar meio período na universidade que o receberá ou em empresas privadas, fundações e entidades.

Como o oferecimento de bolsa auxílio é muito comum nos estágios brasileiros, eles acabam recebendo uma remuneração que é usada para conhecer o país e consumir produtos locais, estimulando a economia nacional e garantindo economia nas despesas.

GRANDES EVENTOS

O Brasil acabou de sediar dois grandes eventos internacionais, as Olimpíadas e a Copa do Mundo. A oportunidade possibilitou a vinda de muitos intercambistas, entre estudantes de cursos relacionados a esportes e comunicação, até de profissionais que vieram experimentar na pele o envolvimento com as competições, principalmente os que trabalham em grandes companhias de eventos, marketing, construção, tecnologia e nas empresas que estavam diretamente ligadas aos acontecimentos que atraíram a atenção do mundo.

CAUSAS SOCIAIS

Intercâmbios com propósito sociais são cada vez mais comuns, e como o Brasil apresenta fragilidades quando se fala em distribuição de riquezas, alimentação, moradia e outros interesses da sociedade, o destino é muito procurado.

Os intercambistas chegam para trabalhar gratuitamente em um projeto social que já esteja consolidado, executando tarefas como ensino de língua estrangeira, construção de abrigos e assistência médica para a população dos locais mais carentes do país em troca de moradia e alimentação, geralmente em casas de famílias brasileiras ou em centros feitos especialmente para receber esses estrangeiros.

Solicite sua Tradução