O coronavírus e a relação entre os países

Países e as relações pós coronavírus

Saiba como ficam as fronteiras no período da pandemia e o que muda na importação e exportação de produtos

Com a disseminação do coronavírus pelos continentes, as importações e exportações estão sendo comprometidas, de modo que o isolamento social é o método de prevenção mais eficaz para o controle da pandemia.

É extremamente arriscado, no atual momento, o contato com produtos que foram transportados, passando por muitos lugares e pessoas.

Como ficam as relações internacionais no período em que o coronavírus ronda os países?

De acordo com a globalização na qual vivemos, as relações econômicas dependem fundamentalmente de importações e exportações. Isso desde a matéria-prima até o produto final.

Sendo assim, diversos setores industriais refletem diretamente um no outro, de forma que trabalham interligados, e nenhuma produção se manterá sem o fornecimento do material de outra.

O Brasil, por exemplo, é muito forte no setor de matéria-prima e agropecuária, sendo que alguns países são dependentes desse fornecimento para manter suas indústrias funcionando.

Já outras nações mantêm o capital substancialmente da produção de tecnologias e outros materiais, os quais podem parecer dispensáveis no atual momento, mas aí é que enganam.

Para manter os recursos de uma cidade, por exemplo, é necessária a continuidade de vários serviços, como os hospitalares, os quais são imprescindíveis atualmente.

Esse serviço vai muito além do atendimento: ele começa pelos produtos que são utilizados e vai até os equipamentos.

Nesse sentido, o mantimento de produtos de consumo essencial – como alimentícios, de higiene e de saúde, além de todos os produtos de necessidades básicas – deverão ser produzidos e continuar em circulação, mesmo em meio à situação que enfrentamos no momento.

E, para que isso aconteça sem que haja danos à sociedade, algumas medidas estão sendo tomadas para precaver ao máximo que o coronavírus não seja ainda mais disseminado com a continuidade das exportações e importações entre os países.

O que está sendo feito para manter as exportações e importações?

Para que tudo ocorra da melhor forma possível, sem prejudicar a saúde dos prestadores de serviços e nem deixar a população em risco, há um novo sistema de monitoramento para esses processos, os quais definem a necessidade e a importância do produto que será transportado.

No Brasil, foi determinada uma “Licença especial de exportação de produtos para o combate do COVID-19” em 19 de março de 2020.

Também houve a isenção nas alíquotas da importação de materiais hospitalares (vigente até setembro), tais como luvas de proteção, artigos de uso cirúrgico, álcool em gel, máscaras, entre outros materiais que são utilizados frequentemente no combate ao vírus.

As disposições mundiais determinadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) estão sendo transmitidas para todos os países em risco, e até mesmo algumas internamente em cada país, o que afeta diretamente as nações com as quais se relacionam economicamente.

Para que a população esteja a par de todos os acontecimentos – sendo ela o receptor final dos meios de produção –, muitos meios de comunicação oferecem traduções simultâneas feitas durante as declarações, para que também haja conformidade na relação de consumo.

Até o atual momento, houve quedas significativas em todos os países atingidos pelo surto do coronavírus, sendo uma das maiores quedas em vários anos. A China, por exemplo, apresentou o menor resultado nas produções industriais desde a década de 90.

Esse é um dado preocupante se pensarmos que uma grande nação com economia dominante, em suas deficiências, atinge todos os países com quem mantém contatos comerciais.

Já o Brasil, logo no início da quarentena, apresentou uma queda de 20% nas exportações em relação ao início do mês, onde as operações ainda ocorriam com normalidade, totalizando a arrecadação de 770 milhões de dólares.

Por terem uma economia ainda passiva em relação às grandes potências mundiais, países como o Brasil terão dificuldades em se reerguer após esse período.

Isso porque, por mais que possuam vantagens comparativas – termo que se refere aos pontos fortes e fracos de um Estado no que se trata de recursos de matéria –, terão que traçar estratégias para se manter em equilíbrio, devido ao valor dos produtos exportados e à menor estabilidade econômica.

Coronavírus e os países

Fechamento de fronteiras

Decisões sobre o fechamento de fronteiras foram sancionadas no Brasil nos acessos a países vizinhos. Ação que já tinha ocorrido por parte da Colômbia, Peru, Argentina e Paraguai, colocando o Brasil em atraso em relação às outras nações.

Estão sendo liberadas as entradas apenas de brasileiros, sejam natos ou naturalizados, profissionais estrangeiros que estejam prestando serviço em função da ordem internacional com prévia identificação, estrangeiros com autorização de residência e funcionários estrangeiros em serviço ao governo brasileiro.

Caso as ordens sejam descumpridas, estão sujeitos a responder penalmente sobre o crime cometido, pois isso viola as leis de proteção à vida. Já as companhias aéreas ainda estão em funcionamento, mas a recomendação é que sejam usadas somente em casos de extrema necessidade.

É sempre bom lembrar que se deve entender por que a tradução juramentada é tão importante no mundo dos negócios, uma vez que, para que qualquer medida seja executada, os procedimentos devem ser respeitados para que tudo ocorra em normalidade, mesmo em um momento de pandemia.

Sempre que precisar, conte com uma empresa de tradução de confiança para garantir que a relação entre empresas internacionais esteja dentro dos trâmites legais.

Não há necessidade de pular os procedimentos para atender às demandas, mas devemos ajustá-los caso a caso. Assim, conseguiremos manter as relações econômicas caminhando em um ritmo cabível, sempre respeitando as limitações que a pandemia exige.

Solicite sua Tradução

Postagens Relacionadas