10 termos mais utilizados na tradução juramentada

Voc√™ sabia que nenhum documento estrangeiro tem validade no Brasil se n√£o for devidamente traduzido por um tradutor p√ļblico nomeado pela Junta Comercial?

Documentos oficiais, como diplomas, hist√≥ricos escolares, documentos de identidade, certid√Ķes de casamento e de nascimento, entre outros, emitidos em outros idiomas s√≥ passam a produzir efeitos jur√≠dicos no Brasil se acompanhados da sua tradu√ß√£o oficial.

A tradução juramentada consiste em uma tradução realizada por tradutor concursado e habilitado, matriculado na Junta Comercial do Estado em que está domiciliado. Logo, não adianta chegar ao país e contratar um tradutor particular ou traduzir os documentos pessoalmente (no caso dos estrangeiros que dominam o idioma português): é preciso que se cumpra a determinação do Decreto Federal 13.609/43 que regulamenta a tradução juramentada e dá outras providências sobre o assunto.

Conheça agora os termos mais utilizados envolvendo a tradução juramentada:

1. Reconhecimento de firma

Esse √© o processo pelo qual um Cart√≥rio de Notas ou Tabeli√£o P√ļblico reconhece a assinatura do signat√°rio do documento.

2. Autenticação de cópia

Nesse procedimento √© extra√≠da uma c√≥pia do documento original. Basta levar ou extrair a c√≥pia, apresentada juntamente com o original perante um Cart√≥rio de Notas ou um Tabeli√£o P√ļblico para que seja certificado que aquela √© uma c√≥pia aut√™ntica do documento original.

3. Notarização

Trata-se de um ato bem semelhante ao reconhecimento de firma no Brasil, em que √© realizado o reconhecimento da assinatura em um documento por meio de uma certifica√ß√£o realizada por um Tabeli√£o P√ļblico devidamente comissionado.

4. Confirmação de autenticidade

Nesse processo, o Cart√≥rio de Notas ou o Tabeli√£o P√ļblico pode confirmar, por meio de uma p√°gina da internet correspondente √† autoridade emissora, a autenticidade do documento digital por meio de um c√≥digo de verifica√ß√£o que fica vinculado ao documento. √Č tamb√©m conhecido como confirma√ß√£o de c√≥digo de veracidade ou autenticidade.

5. Legalização

Trata-se do reconhecimento feito pelo Minist√©rio das Rela√ß√Ķes Exteriores do Brasil. √Č realizado por meio de assinatura documental do tradutor p√ļblico, autoridade ou at√© mesmo de um oficial de cart√≥rio.

6. Consularização

Esse reconhecimento é feito por uma autoridade diplomática, brasileira ou estrangeira, que esteja servindo em missão no país em qual está localizado ou tenha sido emitido um documento, a fim de que esse passe a ter valor e eficácia. Também é conhecido como legalização consular.

7. Vers√£o

Trata-se da tradução de um documento escrito na língua portuguesa para qualquer outro idioma.

8. Tradução

Consiste no processo de traduzir um texto ou documento redigido em qualquer idioma estrangeiro para a língua portuguesa.

9. Nomeação ad hoc

Trata-se da nomea√ß√£o de tradutores n√£o concursados para os casos em que n√£o houver tradutores p√ļblicos credenciados dispon√≠veis. Por exemplo: digamos que algu√©m precise de uma tradu√ß√£o de um documento em urdu ou em hebraico antigo e n√£o se encontre nenhum tradutor p√ļblico dispon√≠vel no pa√≠s – nesse caso, √© autorizado por via legal, a nomea√ß√£o de um tradutor, que pode ser autorizado ou indicado pela Junta Comercial do Estado ou por uma representa√ß√£o diplom√°tica do pa√≠s em que o documento foi emitido.

10. Lauda

Unidade em que se baseia o crit√©rio de men√ß√£o da tradu√ß√£o, que n√£o precisa, necessariamente, corresponder a uma p√°gina completamente preenchida. A tradu√ß√£o p√ļblica precisa preservar a sua fidelidade em rela√ß√£o ao teor do documento original, mas possui apresenta√ß√£o pr√≥pria.

>> Saiba também o que é lauda e como calcular os ganhos na quantidade de trabalho de uma tradução <<

Solicite sua Tradução
ÔĽŅ